Faça suas compras de mercado agora no carrefour.com earth icon Escolha seu país logo enseigne Carrefour

Resultado da pesquisa Resultado

Site internacional

Global

Sites nacionais

Sua saúde Alimentação e hipertensão: qual a relação?

Suas escolhas na hora de comer podem estar te colocando na mira da pressão alta.

Saiba como prevenir esse mal que acomete 25% da população brasileira adulta, a partir de mudanças simples no seu estilo de vida.

A hipertensão arterial ou, simplesmente, pressão alta é uma elevação da pressão do sangue dentro das artérias, causada principalmente pela contração do próprio vaso sanguíneo. Essa contração impede a distribuição regular de sangue pelo corpo, comprometendo o funcionamento dos órgãos que, prejudicados, seja pela agressão causada pela alta pressão ou pela falta de sangue, podem até entrar em colapso. 

Um estilo de vida mais saudável é, em resumo, o suficiente para evitar o aparecimento da hipertensão arterial, quando não se tem um histórico da doença na família. Vamos entender tudo em detalhes?

Causas e consequências

A pressão alta é o principal fator de risco para a ocorrência de outras doenças, sendo a responsável por 40% dos infartos do miocárdio, 80% dos AVCs* - o popular derrame - e 25% dos casos de insuficiência renal, além de causa recorrente de aneurisma arterial e insuficiência cardíaca.

Estima-se que no mínimo 25% da população brasileira adulta, na maioria, pessoas acima dos 60 anos, sofra com a hipertensão arterial, uma doença crônica e em 90% dos casos de cunho hereditário, mas que pode surgir em qualquer pessoa que mantenha um estilo de vida pouco saudável. Os principais desencadeadores da pressão alta, em pessoas sem histórico da doença na família, estão:

Estresse;

Sono irregular;

Sedentarismo;

Diabetes;

Tabagismo;

Excesso de bebida alcoólica;

Excesso de gordura no sangue;

Dieta rica em sódio;

Obesidade.

O sobrepeso e a obesidade, por exemplo, podem acelerar em até 10 anos o aparecimento da doença. Outro fator importante e, talvez, o que mais deve ser considerado é o consumo exagerado de sódio, através do sal de cozinha. Sim, sódio e não o sal em si.

Diferença entre sal e sódio

O sódio é um mineral bastante importante para o organismo, já que age na transmissão do impulso nervoso e na contração muscular, além de estabilizar a pressão arterial. Ele trabalha em equilíbrio com o potássio para fazer o corpo funcionar.

Já o sal é uma mistura de vários ingredientes, inclusive o sódio. Na dose correta ele ajuda no bom funcionamento do organismo, pois regula a quantidade de líquidos nas células. Em excesso, provoca alterações e sobrecarrega o coração e os rins.

Hoje o consumo de sal pelos brasileiros varia entre 9 e 12 gramas por dia, enquanto a recomedação da Organização Mundial da Saúde é de apenas 5 gramas ou 2.400 miligramas de sódio. Um acordo entre o Ministério da Saúde e a Indústria vem reduzindo o nível de sal nos alimentos desde 2011. O excesso de sódio causa a hipertensão, não o sal. Mas o sal é uma das principais fontes de sódio no nosso dia a dia.

Alimentação e prevenção

Manter o peso adequado, e não abusar do sal é uma das melhores formas de evitar ou controlar a hipertensão.

Pesquisa realizada pelo IBGE - POF 2008-2009 aponta que 56% do sal consumido provém da adição no preparo ou na hora de servir; e apenas 19% tem os alimentos processados como origem.

De qualquer forma, quanto mais saudável for sua alimentação, melhor será o funcionamento do seu corpo. Assim sendo, você pode até consumir alimentos processados, mas combine-os sempre, ou dê preferência, aos alimentos in natura ou minimamente processados, como:

Grãos secos, polidos e empacotados, como arroz e feijão;

Raízes e tubérculos, como mandioca e batata;

Farinhas de trigo, milho e mandioca;

Ovos, carnes resfriadas ou congeladas;

Leite pasteurizado ou em forma de iogurtes e coalhadas (queijo branco).

Minimamente processados quer dizer: alimentos que não receberam adição de sal, açúcar, óleos ou gorduras. São aqueles que foram apenas limpos, secos, moídos, embalados, resfriados, congelados ou fermentados a fim de que seu prazo de validade seja maior.

Evite alimentos ultraprocessados e embutidos, como: salsichas, linguiças, legumes em conserva, queijos amarelos,  macarrões instantâneos e sucos em pó, pois eles apresentem alto teor de sódio em sua composição. 

Na hora de cozinhar: 

Substitua o sal de cozinha pelo Glutamato de Sódio: ele confere sabor e contribui com a ingestão de sódio diária, mas tem 37% menos sódio do que o sal convencional.

Opte por alho, cebola, pimentas, manjericão e coentro: esses ingredientes, além de naturais, vão dar mais sabor aos seus pratos. 

De preferência a óleos naturais, como: milho, girassol, azeite de oliva e gordura de coco.

Fique de olho na tabela nutricional: ela traz a quantidade de sódio presente em um alimento e a porcentagem equivalente ao valor diário necessário ao bom funcionamento do corpo.

 

Agora que você já sabe como evitar a hipertensão é só cuidar da alimentação e medir sua pressão ao menos uma vez por ano. 

 

 

 

 

 

 

Descubra outras iniciativas